sexta-feira, 26 de abril de 2013

Impressionismo - Belas Artes

Impressionismo


Movimento artístico iniciado por pintores franceses na segunda metade do séc. XIX e que se estendeu para outras formas de expressão, como a música, a literatura e a escultura. De caráter antiacadêmico, caracterizava-se por apresentar uma impressão imediata de um objeto ou acontecimento. Os pintores impressionistas procuravam mostrar o que o olho vê de relance. Tentaram reproduzir a luz tal como ela é captada pelo olho quando refletida na superfície dos objetos. Por esse motivo, muitas pinturas impressionistas resultam num brilho vibrante. Certos pintores conseguem esse efeito recorrendo à técnica da cor dividida, que consiste em aplicar a tinta em pequenas quantidades distintas de cor pura, em vez de misturá-las na palheta.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

NOSCE TE IPSUM



''Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses'' 
é um aforismo grego que segundo a tradição estaria inscrito nos pórticos do Oráculo de Delfos, originalmente de Pítia, em Delfos, na Antiga Grécia.


É estudado em várias Ordens iniciáticas como Franco-Maçonaria, Rosacruz, Demolay, Menfis-Minsraim, entre outras, onde devemos mergulhar dentro de nosso ser e descobrir o universo vasto que existe em nós, e com isso, os deuses que habitam em nosso inconsciente. Porque lá seria a morada dos deuses. E com isso seriamos iguais a eles.

É uma pedra-angular da filosofia de Sócrates e do seu método, a maiêutica, e é muito citado pelo filósofo nos relatos de Platão (Alcibíades, 128d-129) e Xenofonte (Memoráveis, IV, II, 26). O oráculo do templo teria proclamado Sócrates o homem mais sábio na Grécia, ao que Sócrates terá respondido com a célebre frase: "Só sei que nada sei".

terça-feira, 23 de abril de 2013

Aikidô e a Filosofia Oriental - As 4 Gratidões e as 4 virtudes


Como em qualquer sistema filosófico, o Aikidô é definido por um sistema de princípios essenciais.Primeiro de tudo, o Aikidô enfatiza a importância das ''quatro gratidões'':

1- Gratidão para com o Universo;

Essa é a gratidão pelo dom da vida, um modo de ser muito preciosos e dificil de se alcançar. De acordo com as crenças budistas, a possibilidade de uma alma que transmigra achar uma vida humana é a mesma de uma tartaruga cega no grande oceano, que vem à superfície uma vez a cada cem anos, enfiar sua cabeça num buraco de um tronco de madeira que esteja passando no momento em que ela vier à superfície do mar. E, mesmo que os deuses tenham maiores chances, sua fácil existência coloca-os num estado de torpor, e somente os seres humanos podem torna-se Buda - precisa-se de um corpo para se sentir a dor de Samsara, praticar o Dharma e experimentar o Nirvana. A Gratidão por se estar vivo é supremamente importante, porque nos dá esperança. Como dizia o Mestre Ueshiba:

Escritores da Liberdade


Filme sugerido em sala para compreensão de dificuldades apresentadas em sala de aula. Choques de realidades vs Idéia de trabalho. Existe o link para o trailer do filme é um que é para assistir via net, caso tenham uma conexão boa para isso.

Sinopse e detalhes


Uma jovem e idealista professora chega à uma escola de um bairro pobre, que está corrompida pela agressividade e violência. Os alunos se mostram rebeldes e sem vontade de aprender, e há entre eles uma constante tensão racial. Assim, para fazer com que os alunos aprendam e também falem mais de suas complicadas vidas, a professora Gruwell (Hilary Swank) lança mão de métodos diferentes de ensino. Aos poucos, os alunos vão retomando a confiança em si mesmos, aceitando mais o conhecimento, e reconhecendo valores como a tolerânica e o respeito ao próximo.

Triller

VIDEO

MÊNON - Platão



Mênon é um dos diálogos menores de Platão. Nele o autor coloca Sócrates dialogando com o estudante Mênon, o qual pretende que Sócrates lhe explique o que é a virtude, se pode ser ensinada. Em uma certa passagem do diálogo Mênon pede ao mestre que lhe explique o por que de sua opinião sobre o aprendizado. Pois Platão, através de Sócrates, propõe que nada aprendemos, mas apenas nos recordamos de conceitos que já sabíamos através de nossa alma. O Sócrates de Platão passa a demonstrar essa afirmação usando conceitos matemáticos. 

segunda-feira, 22 de abril de 2013

EU ETIQUETA - Carlos Drummond de Andrade

EU ETIQUETA

Em minha calça está grudado um nome 
Que não é meu de batismo ou de cartório 
Um nome... estranho. 
Meu blusão traz lembrete de bebida 
Que jamais pus na boca, nessa vida, 
Em minha camiseta, a marca de cigarro 
Que não fumo, até hoje não fumei. 
Minhas meias falam de produtos 
Que nunca experimentei 
Mas são comunicados a meus pés. 
Meu tênis é proclama colorido 
De alguma coisa não provada 
Por este provador de longa idade. 
Meu lenço, meu relógio, meu chaveiro, 
Minha gravata e cinto e escova e pente, 
Meu copo, minha xícara, 
Minha toalha de banho e sabonete, 
Meu isso, meu aquilo. 
Desde a cabeça ao bico dos sapatos, 
São mensagens, 
Letras falantes, 
Gritos visuais, 
Ordens de uso, abuso, reincidências. 
Costume, hábito, permência, 
Indispensabilidade, 
E fazem de mim homem-anúncio itinerante, 
Escravo da matéria anunciada. 
Estou, estou na moda. 
É duro andar na moda, ainda que a moda 
Seja negar minha identidade, 
Trocá-la por mil, açambarcando 
Todas as marcas registradas, 
Todos os logotipos do mercado. 
Com que inocência demito-me de ser 
Eu que antes era e me sabia 
Tão diverso de outros, tão mim mesmo, 
Ser pensante sentinte e solitário 
Com outros seres diversos e conscientes 
De sua humana, invencível condição. 
Agora sou anúncio 
Ora vulgar ora bizarro. 
Em língua nacional ou em qualquer língua 
(Qualquer principalmente.) 
E nisto me comparo, tiro glória 
De minha anulação. 
Não sou - vê lá - anúncio contratado. 
Eu é que mimosamente pago 
Para anunciar, para vender 
Em bares festas praias pérgulas piscinas, 
E bem à vista exibo esta etiqueta 
Global no corpo que desiste 
De ser veste e sandália de uma essência 
Tão viva, independente, 
Que moda ou suborno algum a compromete. 
Onde terei jogado fora 
Meu gosto e capacidade de escolher, 
Minhas idiossincrasias tão pessoais, 
Tão minhas que no rosto se espelhavam 
E cada gesto, cada olhar 
Cada vinco da roupa 
Sou gravado de forma universal, 
Saio da estamparia, não de casa, 
Da vitrine me tiram, recolocam, 
Objeto pulsante mas objeto 
Que se oferece como signo dos outros 
Objetos estáticos, tarifados. 
Por me ostentar assim, tão orgulhoso 
De ser não eu, mas artigo industrial, 
Peço que meu nome retifiquem. 
Já não me convém o título de homem. 
Meu nome novo é Coisa. 
Eu sou a Coisa, coisamente.

Xintoismo - Religião



Xintoísmo (em japonês: 神道, transl. Shintō) é o nome dado à espiritualidade tradicional doJapão e dos japoneses, considerado também uma religião pelos estudiosos ocidentais. A palavraShinto ("Caminho dos Deuses") foi adotada do chinês escrito (神道), através da combinação de dois kanjis: "shin(?), que significa "deuses" ou "espíritos" (originalmente da palavra chinesashen); e "(?), ou "do", que significa "estudo" ou "caminho filosófico" (originalmente da palavra chinesa tao). Os termos yamato-kotoba (大和言葉) e Kami no michi costumam ser usados de maneira semelhante, e apresentam significados similares.

Platão



Em linhas gerais, Platão desenvolveu a noção de que o homem está em contato permanente com dois tipos de realidade: a inteligível e a sensível. A primeira é a realidade imutável, igual a si mesma. A segunda são todas as coisas que nos afetam os sentidos, são realidades dependentes, mutáveis e são imagens da realidade inteligível.

Santo Agostinho


Aurélio Agostinho (em latimAurelius Augustinus), dito de Hipona,conhecido como Santo Agostinho (Tagaste13 de novembro de 354 - Hipona28 de agosto de 430), foi um bispoescritorteólogofilósofo e é um Padre latino e Doutor da Igreja Católica.
Agostinho é uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do cristianismo no Ocidente. Em seus primeiros anos, Agostinho foi fortemente influenciado pelo maniqueísmo e pelo neoplatonismo de Plotino, mas depois de tornar-se cristão (387), ele desenvolveu a sua própria abordagem sobre filosofia e teologia e uma variedade de métodos e perspectivas diferentes. Ele aprofundou o conceito de pecado original dos padres anteriores e, quando o Império Romano do Ocidente começou a desintegrar-se, desenvolveu o conceito de Igreja como a cidade espiritual de Deus (num livro de mesmo nome), distinta da cidade material do homem. Seu pensamento influenciou profundamente a visão do homem medieval. A Igreja se identificou com o conceito de "Cidade de Deus" de Agostinho, e também a comunidade que era devota de Deus.

VATICANO - OBRAS DE ARTE


Eu estava em um dos cafés que margeiam os muros do Vaticano. Faltava cerca de uma hora para a abertura dos portões e o jeito era enrolar por ali. Em uma das mesas um grupo de viajantes conversava animadamente. O tema – como não poderia deixar de ser – era religião. Uma senhora escandinava falou algo interessante:
- Apesar de ser cética, creio que pessoas inteligentes devem se interessar por religião.

Mito da Caverna - Platão



Uma das mais e célebres belas passagens da filosofia ocidental, O Mito da Caverna mostra como ocorre o processo de aquisição do conhecimento pelo homem. O trecho é extraído da República, em seu Livro VII.

PDF

Confissões e De Magistro - Santo Agostinho



Santo Agostinho é referência no pensamento da Idade Média, tendo escrito obras como as "Confissões" e "De Magistro". Dispomos ambas na edição da coleção "Os Pensadores, de 1980 - tradução de Ângelo Ricci. Também acompanha relato da vida e obra do autor.

PDF

FONTE: LIVROS DE FILOSOFIA

Curso de Libras - Módulo Prático - Saudações e Apresentações



Curso de Libras - Módulo Prático - Saudações e Apresentações



Video

Grupos Filosoficos - Ordens Iniciáticas

Gostaria de colocar aqui, um material sobre algumas ordens iniciáticas que usam da filosofia para o desenvolvimento pessoal. Algumas destas são conhecidas através de mitos, fofocas ou comentários de falso compreensão sobre o verdadeiro objetivo desses grupos. 
Para um melhor entendimento, sugiro leitura e até mesmo a ida aos templos desses grupos para tirar suas duvidas caso as tenham. 
Algumas dessas ordens tiveram em seu meio filósofos que estudamos suas obras. Algumas delas são bem antigas.

Alguns nomes famosos: Platão - Pitágoras - Abraham Lincoln, Francis Bacon, Armstrong, Neil -  Astronauta - Benjamin Franklin - Sir Isaac Newton - Willian Shakespeare - Jakob Böhme - Martinez de Pasqually -  Louis Claude de Saint-Martin

Mudando Paradigmas na Educação (Dublado)



Animação criada a partir da fala de Sir Ken Robinson, um especialista em educação e criatividade de renome mundial e ganhador do Prêmio Benjamin Franklin da RSA.
RSA é uma organização britânica voltada ao desenvolvimento e pesquisa de novas maneiras de pensar novos modelos sociais com o objetivo de encorajar uma sociedade mais inventiva, engenhosa e realizada.
Sir Ken Robinson discute os modelos de educação atuais, que “anestesiam” a mente das crianças através de práticas ultrapassadas de ensino, tornando-os adultos passivos e com pouca esperança de mudar a sua realidade 


Video

A História das Coisas


A História das Coisas é um documentário de 20 minutos, que vai direto ao ponto: como colaboramos diariamente pra destruir o planeta. Mostra passo a passo a cadeia de eventos que vai da exploração dos recursos naturais, passando pelo produto manufaturado, a compra e o descarte, até chegar ao lixão. Mas o diferencial aqui é que não é um documentário no estilo BBC ou National Geographic. É explicado com desenhos (toscamente) animados, e numa linguagem simples (sem ser simplista) que se torna interessante e compreensível até para crianças pequenas. E o melhor: é dublado!


Após o vídeo haverá uma imensa porta aberta nas mentes dessas pessoas, tipo: "o que eu posso fazer?"; "como posso ajudar" e é aí que entra o papel do educador, oferecendo alternativas. Pra isso você, educador, deve se "armar" de links para páginas que tratam de ecologia, imprimir dicas, ensinar a necessidade de economizar água e luz, usar ao mínimo materiais descartáveis, etc, etc.

Video

FONTE: Somos todos Um

A Ilha das Flores



Ilha das Flores é um filme de curta-metragem brasileiro, do gênero documentário, escrito e dirigido pelo cineasta Jorge Furtado em 1989, com produção da Casa de Cinema de Porto Alegre. O filme foi realizado com o apoio de Kodak do Brasil, Curt-Alex Laboratórios e Álamo Estúdios de Som.

De forma ácida e com uma linguagem quase científica, o curta mostra como a economia gera relações desiguais entre os seres humanos. O próprio roteirista/diretor já afirmou em entrevista que o texto do filme é inspirado em suas leituras de Kurt Vonnegut ("Almoço de Campeões"/ "Breakfast of Champions") e nos filmes de Alain Resnais ("Meu Tio da América"/ "Mon Oncle d'Amérique"), entre outros.1

O filme já foi acusado de "materialista" por ter, em uma de suas cartelas iniciais, a inscrição "Deus não existe". No entanto, o crítico Jean-Claude Bernardet (em "O Cinema no século", org. Ismail Xavier, Imago Editora, 1996) definiu Ilha das Flores como "um filme religioso" e a CNBB(Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) concedeu ao filme o Prêmio Margarida de Prata, como o "melhor filme brasileiro do ano" em 1990. Em 1995, Ilha das Flores foi eleito pela crítica européia como um dos 100 mais importantes curtas-metragens do século.


Video