TESES / ARTIGOS / PAPERS / RESENHAS

 
TESES


Título [Principal]: Ensino de filosofia e resistência
Título [Outro Idioma]: Teaching of philosophy and resistance
Autor(es): Renata Pereira Lima Aspis
E-mail(s): renaspis arroba terra.com.br

RESENHAS

TítuloResenha de A mente pós-evolutiva: a filosofia da mente no universo do silício
Autores: Eduardo Benkendorf, Nivaldo Machado, Egon Sewald Junior.
Publicação: Ciências & Cognição (UFRJ), v. 16(1), p. 206-208, 2011.

TítuloResenha de A mente segundo Dennett
Autores: Eduardo Benkendorf, Nivaldo Machado.
Publicação: Crítica: revista de Filsofia e Ensino. Critica (London), v. -, p. -, 2010.

TítuloResenha do livro "Filosofia(s)" organizado por Nivaldo Machado  e Jean Segata
Autora: Rafaela Sandrini
Publicação: Revista Caminhos, On-line, “Dossiê Humanidades”, Rio do Sul, a. 2, n. 1, p. 285-295, jan./mar. 2011

Fonte: filosofia da mente e cognicao

ARTIGOS

Título: Autoeficácia
Autoras: Cleonice do Nascimento Frota e Luciane Patricia Yano
PublicaçãoLivro: Psicologia Social e Educacional: temas, possibilidades e desafios... 
Capítulo 12 - Autoeficácia: fatores motivacionais no êxito escolar.

Título: Indução em Hume e Poper - Considerações Metodologicas
Autor: Aristides Moreira Filho

Título: Bioética Feminista:a emergência da diferença
Autora: DEBORA DINIZ ANA CRISTINA GONZÁLEZ VÉLEZ
Publicação: DADOS - Revista de Ciências Sociais, vol. 40, nº 3 - 1997
Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro 

Título: Apontamentos sobre racismo, poder e ética
Autor: Erick Assumpção
Este artigo parte dos apontamentos de Judith Butler acerca de uma diferente alocação de vulnerabilidade entre os grupos humanos, tendo como fim a compreensão do funcionamento do racismo desde sua formulação no racismo de Estado até suas atuações noopolíticas. A partir daí, tem-se como proposta o debate acerca de uma ética possível para enfrentar o racismo.
Publicação: Revista internacional de Filosofia da Moral - Ethic@

Título: Conflitos sociais, moralidade e justiça

Autora: Príscila Carvalho
Este artigo apresenta a teoria da justiça desenvolvida por Axel Honneth, situando-a como continuação das formulações da Teoria Crítica em direção à solução da falha marxiana em identificar o potencial emancipador das questões de justiça, problema diagnosticado pelos primeiros teóricos críticos, porém não solucionado pelos mesmos. Procuro mostrar como Honneth se filia às inspirações emancipatórias da teoria marxista enquanto teórico crítico, ao mesmo tempo em que busca o aprofundamento da noção de conflitos sociais ancorada na teoria de Georg Wilhelm Friedrich Hegel. Honneth problematiza a interação social relacionando-as com os objetivos dos movimentos em defesa da identidade, enquanto questionamentos sobre injustiças culturais e seus desdobramentos materiais. O vazio a teórico a respeito da relação entre natureza moral dos conflitos sociais e a distribuição material seria o principal entrave à reflexão sobre a origem e a solução para injustiças sociais. Apesar de tomar os sentimentos e questionamentos morais embutidos nas lutas por reconhecimento como ponto de partida da sua teoria social, Honneth não se limita a eles, elencando os aspectos de caráter empírico e pós-metafísicos de outros autores no intuito de formular uma teoria da justiça crítica e emancipatória. O filósofo argumenta (2007) que a consciência do significado de reconhecimento nesses termos implica um “desafio premente às democracias”.  A teoria do reconhecimento como questão de justiça se constrói ao mesmo tempo numa perspectiva comunitária e crítica ao deontologismo kantiano, aderindo aos seus objetivos formais e universalizáveis. Ao longo do artigo é mantida a defesa de que os valores morais são inseparáveis da forma como as sociedades se estruturam, tal como mostra a tese honnethiana de justiça. Entretanto, procuro mostrar que a hipótese da geração exclusiva das injustiças sociais na esfera da cultura é ao mesmo tempo uma tese questionável e contraproducente para os objetivos emancipatórios estabelecidos pelo próprio Axel Honneth.
Publicação: Revista internacional de Filosofia da Moral - Ethic@