sábado, 17 de outubro de 2015

A SURDEZ COMO EXEMPLO

Sasaki Kojiro com 14 anos
Este jovem atende pelo nome de Sasaki Kojiro, personagem (também) central ou importante, do mangá VAGABOND. Sasaki Kojiro aparece pela metade do mangá e ganha um arco somente dele, explicando sua chegada ainda bebê a uma ilha onde morava o antigo mestre de esgrima de seu pai durante o Japão feudal. Sasaki é criado e educado pelo mestre de seu pai, já que os pais falecem no meio da viagem. 

O mestre Jisai, já idoso e completamente desligado da vida social e não mais ensinando a Arte da esgrima cria o garoto da "melhor" maneira possivel ou a única que sabe. Mesmo assim, consegue criar o garoto, mas quando Sasaki com 4 anos de idade, encontra pela praia proxima a casa do mestre Jisai um antigo discipulo e este, descobre rapidamente algo peculiar sobre a criança. Itto Ittosai  percebe que o garoto Sasaki é surdo.


Sasaki sempre quis aprender esgrima com o mestre Jisai, que depois de alguns acontecimentos retorna a ensinar ao publico. Mas, devido a surdez de Sasaki, Jisai acredito que nunca conseguira sobreviver ha um duelo ou qualquer embate, sem saber de onde virá seu inimigo. 

Sasaki astuto, esperava sempre o retorno do mestre Jisai para seu casebre pelo final da tarde após os treinos, e nessas emboscadas atacava sem piedade o mestre que, se defendia com maestria sem aplicar golpe algum em Sasaki, mas finalizava os ataques de Sasaki com um golpe apenas e falava: Jamais ensinarei você a lutar com a espada, você não entende, que voce morreria?

Sasaki cansado de tantos ataques ferozes e um golpe fulminante para finalizar do mestre, sorria no chão, feliz com algo que o mestre jamais notará.
Sasaki atacando mestre Jisai
 Esses ataques de Sasaki estende-se da pré-adolescência até a fase adulta, e o mestre resistindo nos ensinamentos. Mas, em um novo retorno para rever o antigo mestre Itto Ittosai reencontra o agora adulto Sasaki, e o provoca até enfurece-lo. 
Encontro de Sasaki, agora adulto e Itto Ittosai
Sasaki enfurecido parte para cima e demonstra sua ferocidade de guerreiro (samurai). Mesmo assim, perde para Itto Ittosai, mas deixa surpreso o mestre Jisai. Itto explica para o mestre, que um tigre sabe reconhecer o outro, e o garoto é um. E que o mestre estava de parabéns por ter ensinando tão bem um discípulo surdo.O mestre sem entender, fala que não ensinou nada... Mas Ittosai explica novamente, todas as defesas e insistências de não querer ensinar esgrima, foram suficientes para Sasaki descobrir na defesa como poderia atacar contra seus inimigos, as defesas do mestre Jisai era a defesa que Sasaki deveria tomar perante os ataques que serviam de exemplo para ele mesmo como se fosse de um inimigo imaginário. Então o mestre Jisai descobriu o verdadeiro Sasaki Kojiro, toda sua capacidade e astúcia. Que ele limitava o garoto o tempo todo, e que seu preconceito destruía as qualidades a serem desenvolvidas mais e mais para excelência. 


Bem, onde quero chegar com tudo isso? Esse breve resumo da "vida" de Sasaki, é para ilustrar como dei muito mais atenção a surdez e a linguagem de sinais. 
Sempre quis aprender LIBRAS, de verdade! Mas, não colocava como prioridade e sempre tinha algo na frente que impedia meu aprendizado. Foi quando entrei na universidade e na minha turma tinha uma aluna surda. 

Em nossa turma, tínhamos interpretes para ajudar a aluna e os professores que não sabem a língua de sinais (estamos falando de inclusão gente!). A aluna possuia um entendimento maravilhoso das disciplinas de filosofia, conseguia se expressar de maneira clara e direta sem achismo de conteúdos densos, e muito melhor do que alunos ouvintes. Aquilo me fascinava mais e mais. Certa vez, me aproximei do interprete e professor Israel e conversei com ele sobre alguns sinais, de como poderia aprender o idioma. Esclarecido, fui com atenção anotando alguns sinais, tirando mais duvidas, me aproximando do NAI - nucleo de apoio a inclusão e, tirando mais duvidas conseguiram me informar de um curso gratuito para professores que formava interpretes. Sem pensar duas vezes me dediquei ao curso.

Dentro do curso, descobri não apenas um novo idioma, mas uma linguagem que abre e muito nossa mente, para um novo universo. Ou um universo muito antigo que muitos como eu, se recusam a enxergar. Os professores os quais admiro muito até hoje, me mostraram como é a vida do surdo, diferente? Em nada de um ouvinte, a não ser que você coloque diferença por uma carga enorme de preconceitos e limitações dadas pelo grupo dos ouvintes que colocam desde apelidinhos como Mudinho até de impedir que a pessoa surda faça alguma atividade profissional por acreditar em sua ignorância que aquela pessoa não pode fazer aquela função. 

Não sejam essas pessoas. Não viva em um mundo fechado. Descubra a maravilhosa ferramenta que é a COMUNICAÇÃO. Ajudar, conversar, conviver e Entender traz conhecimentos grandiosos. Não fiquem acanhados, aprendam com eles, se você se mostra interessado, a comunidade surda tem o grande interesse de ensinar. Isso faz com que tudo seja mais facil para os dois lados, dos ouvintes e dos surdos. 

OBRIGAD@ PROFESSOR@
EU FELIZmuito
APRENDER LIBRAS, CONVERSAR E ENSINAR
TER AMIG@ SURDO, CONVERSAR ELES, MUIT@ BO@

Por Renis R.