sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

O "homem" e o Saber

Sou acadêmico de Filosofia. Estudo, aprendo e gosto de Saber. Cada vez que me aprofundo mais no "pensamento Ocidental" descubro uma limitação surpreendente chamada "homem". E vejo que, O Homem está a espera de seus iguais, esperando que atinjam O Saber. Que, à saber, existe Saber. 

Observo que o homem delimita tudo, e não avança. O homem classifica não para aprender, mas para ter domínio. Fui agraciado com dois videos, um pela Camila Cabeça De Souza Lima - One Billion Rising (Short Film)e outro pela minha deusa da noite Iris AlmeidaBecause who is perfect?, onde mostram o Sexo Fragil - apontado e classificado como sendo as mulheres, e outro onde mostra pessoas com seus corpos ganhando moldes para virarem manequins, mas seus corpos possuem formações acima da aceitação de beleza dos comuns. 

O "homem" é uma sombra, imperfeita, que classifica e quer ter domínio de tudo. Onde classifica mulheres como sexo frágil para diminui-las. Mulheres deusas, criadoras de vida e de alimentos sagrados para toda a população da Terra, indiferente de raça, religião e situação financeira. 

O "homem" classifica o seu semelhante de "mudinho" "ceguinho" "pretinho" "camarão" "mongol", isso tudo para se sentir sempre acima e "perfeito". Mas será que ser ignorante por opção não é uma limitação e das piores? 

Hoje os sentidos desses "perfeitos" "homens" estão sendo usados para "sentir" o dinheiro em sua mãos, agradar o próximo com este dinheiro em fins políticos, religiosos ou ilegais. 
O poder de suas vozes está associado a palavrões, ensinar a falar para crianças calunias e pornografias e, o dito Amor, Carinho e Paz não mais. 

Seus "corpos perfeitos" marcham em direções das florestas para devastações, com suas mãos firmes puxam gatilhos e transpassam facões sobre corpos "inferiores" de etnias indígenas. 

O "homem" com toda sua perfeição, se assombra com o que não consegue entender ao seu redor, se prende aos sentidos de tal forma, que sua liberdade está nas estrelas, e aquilo é só a imagem Sagrada de algo inatingível a este ser. 

O "homem" cria e já criou tanta fronteira e limite que só o que restou perto de si foi a Ignorância total de Si. 

Quando EU fecho meus olhos, Penso. Quando EU abro meus olhos, Observo. Quando meu corpo se desloca, Aprendo. 

O "homem" aprenderá que ele é apenas um grão no meio desse espaço imenso. Que se ele pular e fugir deste Planeta, estará flutuando mesmo assim nesta vastidão negra, estrelada. Que palavras atiradas e bombas arremessadas não atingem alvos, mas UM ALVO apenas, O Homem, A Deusa, O TODO, como o seu, o meu ou o entendimento de quem quiser se aproximar. 

Renis Ramos.