quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

AMOR PLATÔNICO NOS VINGADORES

Amor platônico é qualquer tipo de relação afetuosa ou idealizada em que se abstrai o elemento sexual, por vários gêneros diferentes, como em um caso de amizade pura, entre duas pessoas.
Amor platônico também pode ser um amor impossível, difícil ou que não é correspondido. Muitas vezes uma pessoa tem um amor platônico e nunca tenta sair dessa fase porque tem medo de se machucar ou medo de verificar que as suas fantasias e expectativas não correspondem à realidade.
O termo amor "platonicus" foi usado pela primeira vez pelo filósofo neoplatônico florentino Marsilio Ficino no século XV, como um sinônimo de amor socrático. As duas expressões dizem respeito a um amor focado na beleza do caráter e na inteligência de uma pessoa, e não no seu aspeto físico. A expressão viu o seu conceito mudar graças à obra de Sr. William Davenant, "Platonic Lovers" (Amantes Platônicos - 1636), onde o poeta inglês se refere ao amor como é retratado no Simpósio de Platão, que afirma que o amor é a raiz de todas as virtudes e da verdade.
Para o filósofo grego Platão, o amor era algo essencialmente puro e desprovido de paixões, ao passo em que estas são essencialmente cegas, materiais, efêmeras e falsas. O amor platônico, não se fundamenta num interesse, e sim na virtude. Platão criou também a teoria do mundo das idéias, onde tudo era perfeito e que no mundo real tudo era uma cópia imperfeita desse mundo das idéias. Portanto amor platônico, ou qualquer coisa platônica, se refere a algo que seja perfeito, mas que não existe no mundo real, apenas no mundo das idéias.O amor platônico é entendido como um amor à distância, que não se aproxima, não toca, não envolve, é feito de fantasias e de idealização, onde o objeto do amor é o ser perfeito, detentor de todas as boas qualidades e sem defeitos.

Ok. Temos aqui a definição do que é Amor Platônico, mas em que ele tem a ver com Os Vingadores?

Bem, a transmissão do mundo dos quadrinhos para o cinema vem oferecer um conteúdo talvez novo para algumas pessoas, mas outros, fãs antigos da Marvel saberão rapidamente do que estou falando. A adaptação de Vingadores trouxe um arco interligado por todos os filmes do Estúdio Marvel - Disney, onde fez filmes como: Homem-de-Ferro, Thor, Hulk, Capitão América, Homem Formiga e outros mais, fecharem com o grande deus Thanos aparecendo. 



Nos quadrinhos temos Thanos amando/desejando a Morte mais do que todas as coisas - que é uma Entidade Cósmica e Imortal, o vilão planejava destruir o Universo como tributo a sua amada. Thanos que começou a engendrar seu novo plano: partiu em busca das seis jóias do infinito, a fim de provocar um genocídio estelar e assim, reconquistar o seu amor, a Morte, que o rejeitara já uma vez. 


Mas, ainda continuo sem saber a ligação com o Amor Platônico. 

Bem, Thanos consegue essas jóias nos quadrinhos e consegue um poder tão grande que nada supera mais ele.


E com isso, consegue A Morte como sua "esposa", que, não tinha nenhum deus mortal a seu lado já que Ela é um Ser de tamanho Poder e perfeição e de relações infinitas e de longe presa a desejos baixos como conquistas planetárias, mas, ela não fala mais nada diante dele. A Morte é silenciosa diante de seu poderoso senhor, e isso o deixa louco!


Então Thanos pergunta a Morte o que ele tem que fazer para te-la por completo, para que ela manifeste alguma alegria e fale algo para ele. Ele teria que matar todos no Universo?

Então a Morte o responde:

- Não sou digna de estar ao lado de tamanho Poder!


quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Preconceito sempre rola, vai acontecer contigo também!

Preconceito sempre rola, vai acontecer contigo também!



Dona Ana é uma cidadã idônea, e a prova disso é que até freqüenta igreja. Esposa fiel e dona de casa exemplar que só se abala com a possibilidade de seu filho Rodrigo ‘acidentalmente’ se envolver com uma mulher de cor. Coisa que não tem chance de acontecer já que o jovem, ainda na adolescência, já se assume gay perante os amigos mais íntimos. Boato esse que se espalhou na escola onde estuda gerando a imediata repulsa do professor Carlos que começou a tratar o aluno diferente (de mal a pior) depois que soube de sua opção sexual. Mas nem por isso ele se sente homofóbico.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

O "homem" e o Saber

Sou acadêmico de Filosofia. Estudo, aprendo e gosto de Saber. Cada vez que me aprofundo mais no "pensamento Ocidental" descubro uma limitação surpreendente chamada "homem". E vejo que, O Homem está a espera de seus iguais, esperando que atinjam O Saber. Que, à saber, existe Saber. 

Observo que o homem delimita tudo, e não avança. O homem classifica não para aprender, mas para ter domínio. Fui agraciado com dois videos, um pela Camila Cabeça De Souza Lima - One Billion Rising (Short Film)e outro pela minha deusa da noite Iris AlmeidaBecause who is perfect?, onde mostram o Sexo Fragil - apontado e classificado como sendo as mulheres, e outro onde mostra pessoas com seus corpos ganhando moldes para virarem manequins, mas seus corpos possuem formações acima da aceitação de beleza dos comuns.