quinta-feira, 2 de maio de 2013

William Shakespeare


William Shakespeare (Stratford-upon-Avon23 de abril de 1564 — Stratford-upon-Avon,23 de abril de 1616) foi um poeta e dramaturgo inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. É chamado frequentemente de poeta nacional da Inglaterra e de "Bardo do Avon" (ou simplesmente The Bard, "O Bardo"). De suas obras restaram até os dias de hoje 38 peças, 154 sonetos, dois longos poemas narrativos, e diversos outros poemas. Suas peças foram traduzidas para os principais idiomas do globo, e são encenadas mais do que as de qualquer outro dramaturgo. Muitos de seus textos e temas, especialmente os do teatro, permaneceram vivos até aos nossos dias, sendo revisitados com frequência pelo teatrotelevisãocinema e literatura. Entre suas obras mais conhecidas estão Romeu e Julieta, que se tornou a história de amor por excelência, e Hamlet, que possui uma das frases mais conhecidas da língua inglesa: To be or not to be: that's the question (Ser ou não ser, eis a questão).



A famosa frase "Ser ou não ser, eis a questão" (no original em inglês: To be or not to be, that's the question) vem da peça A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca, de William Shakespeare. Encontra-se no Ato III, Cena I e é frequentemente usada como um fundo filosófico profundo. Sem dúvida alguma, é uma das mais famosas frases da literatura mundial. O verso, citado pelo personagem principal Hamlet, é o seguinte:
Ser ou não ser, eis a questão: será mais nobreEm nosso espírito sofrer pedras e flechasCom que a Fortuna, enfurecida, nos alveja,Ou insurgir-nos contra um mar de provaçõesE em luta pôr-lhes fim? Morrer.. dormir: não mais.Dizer que rematamos com um sono a angústiaE as mil pelejas naturais-herança do homem:Morrer para dormir... é uma consumaçãoQue bem merece e desejamos com fervor.Dormir... Talvez sonhar: eis onde surge o obstáculo:Pois quando livres do tumulto da existência,No repouso da morte o sonho que tenhamosDevem fazer-nos hesitar: eis a suspeitaQue impõe tão longa vida aos nossos infortúnios.Quem sofreria os relhos e a irrisão do mundo,O agravo do opressor, a afronta do orgulhoso,Toda a lancinação do mal-prezado amor,A insolência oficial, as dilações da lei,Os doestos que dos nulos têm de suportarO mérito paciente, quem o sofreria,Quando alcançasse a mais perfeita quitaçãoCom a ponta de um punhal? Quem levaria fardos,Gemendo e suando sob a vida fatigante,Se o receio de alguma coisa após a morte,–Essa região desconhecida cujas raiasJamais viajante algum atravessou de volta –Não nos pusesse a voar para outros, não sabidos?O pensamento assim nos acovarda, e assimÉ que se cobre a tez normal da decisãoCom o tom pálido e enfermo da melancolia;E desde que nos prendam tais cogitações,Empresas de alto escopo e que bem alto planamDesviam-se de rumo e cessam até mesmoDe se chamar ação.""[...]


Entre 1585 e 1592 William começou uma carreira bem-sucedida em Londres como ator, escritor e um dos proprietários da companhia de teatro chamada Lord Chamberlain's Men, mais tarde conhecida como King's Men. Acredita-se que ele tenha retornado a Stratford em torno de 1613, morrendo três anos depois. Restaram poucos registros da vida privada de Shakespeare, e existem muitas especulações sobre assuntos como a sua aparência física, sexualidade, crenças religiosas, e se algumas das obras que lhe são atribuídas teriam sido escritas por outros autores.

Shakespeare produziu a maior parte de sua obra entre 1590 e 1613. Suas primeiras peças eram principalmente comédias e obras baseadas em eventos e personagens históricos, gêneros que ele levou ao ápice da sofisticação e do talento artístico ao fim do século XVI. A partir de então escreveu apenas tragédias até por volta de 1608, incluindo HamletRei Lear e Macbeth, consideradas algumas das obras mais importantes na língua inglesa. Na sua última fase, escreveu um conjuntos de peças classificadas como tragicomédias ou romances, e colaborou com outros dramaturgos. Diversas de suas peças foram publicadas, em edições com variados graus de qualidade e precisão, durante sua vida. Em 1623 dois de seus antigos colegas de teatro publicaram o chamado First Folio, uma coletánea de suas obras dramáticas que incluía todas as peças (com a exceção de duas) reconhecidas atualmente como sendo de sua autoria.


Comédias

  • Sonho de uma Noite de Verão
  • O Mercador de Veneza
  • A Comédia dos Erros
  • Os Dois Cavalheiros de Verona
  • Muito Barulho por Nada
  • Noite de Reis
  • Medida por Medida
  • Conto do Inverno
  • Cimbelino
  • A Megera Domada
  • A Tempestade
  • Como Gostais
  • Tudo Bem quando Termina Bem
  • As Alegres Comadres de Windsor
  • Trabalhos de Amores Perdidos
  • Péricles, Príncipe de Tiro

Tragédias

  • Tito Andrônico
  • Romeu e Julieta
  • Júlio César
  • Macbeth
  • Antônio e Cleópatra
  • Coriolano
  • Timão de Atenas
  • Rei Lear
  • Otelo, o Mouro de Veneza
  • Hamlet 
  • Tróilo e Créssida
  • A Tempestade

Dramas históricos

  • Rei João
  • Ricardo II
  • Ricardo III
  • Henrique IV, Parte 1
  • Henrique IV, Parte 2
  • Henrique V
  • Henrique VI, Parte 1
  • Henrique VI, Parte 2
  • Henrique VI, Parte 3
  • Henrique VIII
  • Eduardo III